1. A memória

Quantos mais sentidos utilizamos, maior será a aprendizagem.

Na verdade, retemos:

  • 10% do que lemos
  • 20% do que ouvimos
  • 30% do que vemos
  • 50% do que vemos e ouvimos
  • 80% do que dizemos
  • 90% do que dizemos numa tarefa

Portanto nada melhor do que optar por métodos de estudo que impliquem mais do um sentido.

Não esquecer que uma óptima forma de estudar é explicar a outra pessoa o que se está a aprender…

A memória tem limites… por isso é que nos esquecemos das coisas. Se queremos memorizar devemos exercitar e seleccionar a informação.

Ao tirar apontamentos:

  • excluir informação não relevante e concorrente com a informação principal
  • identificar os objectivos da aprendizagem
  • decidir o que se quer aprender
  • durante a aula tirar notas do que está a ser dito, mesmo que já existam documentos com a informação
  • encaixar informação em grupos (procurar: semelhanças, sequências óbvias, ligações)

Um óptimo esquema de estudo é o método PLEMA. Deixamos aqui as ideias principais deste modelo.

Sequência de 5 etapas organizadas.

1. Pré-Leitura – obter uma ideia geral do que há para ler

2. Leitura – leitura pormenorizada da informação

3. Esquematização – desenhar esquemas que facilitem a memorização

4. Memorização – memorizar a informação, neste caso os esquemas realizados

5. Avaliação dos conhecimentos – perceber o que se sabe, de forma a estudar apenas o que não se sabe…

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *